Posts Recentes

E se o seu corpo falasse?

January 15, 2019

 

 

 

Descobri que o meu corpo fala. O seu também?

 

O idioma é gesto, dor ou movimento. Porém, sempre ali existe a conversa de todos os dias.

Eu não ouvia o que o corpo falava. Sequer imagina que dialogávamos rotineiramente. E era só fala sem escuta. Às vezes somente dor. Outras somente esforço. Outras movimento e prazer. E sim, foi sentindo menos dor que entendi o que o meu corpo queria. O que na verdade ele p-e-d-i-a.

 

Espaços. Para mim, sempre foi o tema recorrente nas nossas revelações mais intimistas. A dor no ombro? Espaço. O bico de papagaio? Espaço. A coluna que travou? Espaço.

 

Aprendi na relação com as práticas de GYROTONIC® e Pilates, o sagrado dos espaços que precisamos criar e cultivar e conservar quando o assunto é movimento e autoconsciência.

Espaço alivia e relaxa. Faz caber. Espaço permite mais gente, mais encontro, mais possibilidades. Ausência de espaço vira pressão, aperto e machucado. Falta experiência e portas novas. Circuito fechado.

 

Abrir espaços entre as costelas. Mandar ar para cá ou para lá. Respirar. Cavar, empurrar, sugar, espiralar. Esses verbos-convite mudaram a forma com a qual eu olhava para o meu modo de estar no corpo e de dar a ele movimento. Eles me revelaram potência. Um corpo que pode é bonito por natureza. Combina com semente que rompe a casca e cresce. Explora junto com o vento o trafegar em novos lugares. Enraíza no chão firme para ganhar força. E a qualquer instante impulsiona como a vida apressada por ter continuidade.

 

E nesse diálogo-expedição eu e o meu corpo, ergui meu templo. Entendi que nele habitam sabedoria e curiosidade. Festa e recolhimento. Saúde e necessidades de cuidado. Atentar para o que o corpo diz é tarefa de todo santo dia. É o papo mais amigo que poderemos nutrir pela vida afora. Para ter espaços de mais bem viver. Para ser mais potente. Há que se ter silêncio, percepção e vontade de estar presente e disponível ao que quer chegar.

 

 

 

 

*Mozana é uma pessoa apaixonada por desenvolvimento humano. Essa baiana, radicada em São Paulo, tem 17 anos de carreira como publicitária, especialista em causas sociais. Hoje é empreendora da consultoria Mandacaru (https://www.facebook.com/mandacarued/), facilitadora de processos e astróloga e trabalha para que as pessoas e as organizações se fortaleçam, floresçam e prosperem de dentro para fora. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

February 26, 2019

February 5, 2019

January 31, 2019

Please reload